Antes de emagrecer

Viaje! 

   © Thais Moura

 © Thais Moura

Pelo passado, presente e futuro: por onde estive? Como estou? Para saber o que o influenciou a ter o atual peso. 

Se olhar pelo filtro comercial há motivo para emagrecer o ano todo: no inverno, pelo verão.  no verão medidas miraculosas e miticas expressas.

Espera um pouco.

No inverno o corpo pede mais alimento para manter a temperatura, e isso é bom. Alimentos variados, mesmo entre os menos naturais, dão boa conta disso. Transforma em energia para que mantenhamos bom funcionamento de pensar e mexer

Então se você escolher tomar chocolate quente 5x por dia, vai condicionar seu corpo que vai pedir por isso, vai falta nutrir de outros alimentos do que mais há disponivel e que o corpo faz bom uso, e o açúcar + o leite podem provocar uma distenção abdominal pela fermentação, gerando desconforto gastro-intestinal e aumento aparente do volume abdominal.

Se passado o inverno a bebida doce for substituida por uma cola geladíssima nham em quantidade igual ou maior que o número de refeições e necessidades diárias, bom, estás a cooperar com o possivel e futuro desenvolvimento de uma Diabetes tipo II e de uma doença articular que afeta os movimentos com o envelhecimento. 

Bem, com excesso de peso, joelhos doendo, diabético ou pré diabético e com o médico (família, amigos, desconhecidos) buzinando no seu ouvido para fazer isso, aquilo e aquilo outro, o natural a se fazer é pensar em emagrecer, e rápido de preferência. É o que está mais visível mas é só um produto de fatores passados.

O processo de engordar, tanto que limite, é lento. De emagrecer, também. Duas vezes mais. 

Engordar é uma sucessão de fatos, escolhas e/ ou respostas condicionadas a acontecimentos da vida. 

Emagrecer é uma escolha e uma medida para evitar que o excesso de peso o limite, afinal, corpo foi feito para usar. Corpo parado costuma ser encrenca.

Ou seja emagrecer é secundário, sentir-se bem é principal, e conhecer sobre o corpo e seu funcionamento a partir de nossos habitos, facilitaria a vida. Isso é questão de política pública em um grande aspecto, e do Educador Físico proximo de nós, professor da escola ou academia. Não da revista ou da Tv e internet interessada em manter o problema para nutrir-se do lucro da venda da falsa solução.

Coma! Mexa-se! E consuma leituras parciais com moderação.