O bem estar

 © Thais Moura

© Thais Moura

 

Ao sentirmos cheiros, avistarmos ou tocarmos algo, o corpo se conecta à memória.

Se forem bons estímulos, bingo!, memória ativada que faz sorrir, se sentir leve, suspirar.

Se for ruim, chato, memória traz à tona reações típicas. Taquicardia, sudorese, tremores musculares. O corpo sente o que cabeça e coração cochicham.

É assim quando você encontra alguém que gosta de surpresa! Ou quando encontra aquela pessoa que você preferia ter trocado de calçada se tivesse visto antes.

Se praticas um esporte desde pequeno, com seus pais, irmãos ou amigos, e torna a pratica-lo em outras fases da vida, se isso fez bem a você quando criança, ele continua fazendo quando adulto. Se vais começar a praticar algo novo agora, já ter vivido o bastante para ponderar pontos como timidez, olhares, opiniões, podem fazer com que sinta ruim algo que escolheu para ser bom.

Então o que fazer pra se sentir bem hoje sem antes ter feito o que farei agora? 

Novas referências podem ser estabelecidas simplificando a situação. 

Primeiro, foque na prática: quer mesmo fazer isso? Legal. Agora pense no que a tornará possível, um equipamento, uma aula, um amigo. Ok, pode ir. O resto é tão incerto que não precisa se preocupar. 

Deixe para sentir o que de bom o exercício pode provocar em você.

Sistema nervoso avisa geral que o ritmo está acelerando. Coração bombeia mais, oxigena mais, cérebro e corpo, que aquece, acelera naturalmente. Depois dessa eu quero ver você não sorrir!

Um movimento meio gauche, uma lembrança, uma associação. Ou qualquer coisa que não precise pensar, só sentir. Divirta-se a mexer!